Vitória Régia & Seroma Produções

Gênio não nasce toda dia e Tim Maia antecipou oque aconteceria com a indústria fonográfica. O cenário na década de 70 era mais favorável e os pensamentos não eram voltados para uma necessidade de ter sua própria gravadora e editora. Pioneiro em quase tudo, criou a Vitoria Regia Discos e a Seroma Produções. Toda música composta era registrada na própria editora e a distribuição dos discos terceirizada, licenciamento por prazo determinado podendo ou não ser renovado.

Com o advento da pirataria, gravadoras e artistas tiveram que se moldar criar novas estratégias e tecnologias para compensar os prejuízos. Algumas faliram, outras sofreram fusões e alguns artistas não tiveram seus contratos renovados. Após quase três décadas é que começam o movimento para gerirem seu próprio negócio, a criarem suas editoras, após anos de contratos firmados por caráter irrevogável e irretratável. Numa entrevista perguntaram: Tim Maia, qual a diferença entre você, Caetano Veloso e Chico Buarque? Respondeu: “Chico e Caetano são universitários, estudiosos. Tim Maia é um doidão.” Talvez sua doideira fosse sinônimo de inteligência.

Em 1997, o grão mestre varonil foi o primeiro artista brasileiro a criar faixa interativa em seus discos, a misturar áudio, vídeo e internet pela gravadora Vitória Regia Discos.